Início > História

História

 

 

 

 

 

 

 

 

  

Vila Nova da Telha é uma freguesia do concelho da Maia, distrito do Porto e dista da sede de concelho cerca de 7 Km.

 

O seu orago é Santa Maria, invocando Nossa Senhora da Expectação. Confronta com o concelho de Vila do Conde, com o de Matosinhos e a nascente com a freguesia vizinha de Moreira da Maia.

O seu território era, antes do fenómeno progressivo e constante da urbanização parcialmente coberto por imensos pinhais, que produziam grandes quantidades de pinhas, valendo a freguesia em tempos de maior crise. Eram essencialmente as mulheres que se dedicavam à “apanha das pinhas”, graciosamente denominadas de “pinheireiras”. A elas estava encarregada a árdua tarefa de apanhar, tratar e vender este produto, que de seguida era comercializado nas padarias e confeitarias do Porto e Matosinhos. Uma outra actividade de grande importância era a produção de telha, que obviamente não passou despercebida, uma vez que o topônimo da freguesia a representa e menciona. Segundo Pinho Leal, a designação “da Telha” ficou-se a dever ao facto de aqui se fabricarem grandes quantidades de telha e, a prova de tal, diz o mesmo, é-nos revelada na toponímia local: “Campo da Telheira”; “Campo do Forno”; “Casa do Telhado”, etc. Acrescenta ainda este autor, que desta freguesia foi telha para o Quartel de Santo Ovídio, no Porto, assim como para a Igreja e Convento de Leça do Balio e outras igrejas do concelho maiato. De facto, a freguesia designava-se, primitivamente, apenas por “Vila Nova”, “Vila Nova de Santa Maria” ou “Vila Nova da Maia”. O simples topônimo “uilla noua” já se encontra registado em 1121 e, na primeira metade do seculo XIII, no “Rol das Igrejas do Rei”, a respectiva igreja era denominada de “Sancta Maria de Villa Nova”. Em 1678, o Bispo de Porto, D. João de Sousa, nas “Constituições Diocesanas do Porto”, acrescenta-lhe “da Telha”.